RIO IRUÉS

River Irués - a hidden jewel!
Rio Irués – Uma preciosidade escondida !!!
Fiume Irués - Un gioiello nascosto!






Been paddling in the Pyrenees for almost a week when the chance to get to know this waterline came up. Just like in the previous years, early June means "pilgrimage" to this beautiful mountain range that draws the borderline between Spain and France. In 2010 we decided to hit the road a week earlier than usual. This anticipation plus the good weather, allowed us to paddle many known rivers with plenty of water as well as new sections that are usually water-scarce during the week of June 10th (Portugal´s national day). Always under a magnificent sun and typical summer temperatures.





À praticamente uma semana que andávamos a remar pelos Pirenéus quando a oportunidade de irmos conhecer esta linha de água nos surgiu. À imagem de outros anos, o início do mês de Junho significa “romaria” a esta bela cordilheira que limita a fronteira de Espanha com França. Neste ano de 2010 optamos por nos fazermos à estrada uma semana mais cedo da que tradicionalmente é reservada para tal missão. Esta antecipação, juntamente com a sorte que tivemos com o tempo, possibilitou-nos remar muitos rios conhecidos com bastante água e navegar novos troços que habitualmente estão escassos de água na semana do feriado nacional do 10 de Junho (Dia de Portugal). Tudo debaixo de um sol esplendoroso e com temperaturas típicas de Verão.





Dopo praticamente una settimana che remavamo nei Pirenei l’opportunità di conoscere questa linea d’acqua è sorta. Come tutti gli anni l’inizio di giugno significa “pellegrinaggio” verso queste belle montagne che segnano la frontiera tra spagna e francia. In questo 2010 abbiamo deciso di partire una settimana prima rispetto al solito: questo anticipo, insieme alla fortuna che abbiamo avuto con il clima, ci ha dato la possibilità di remare molti fiumi conosciuti con molta acqua e provare tratti nuovi che di solito sono bassi durante la settimana di ferie nazionali del 10 giugno (giorno del Portogallo). Tutto sotto un sole splendente e con temperature tipicjhe dell’estate.



Cold Beer !!!



Bica, Dima, Palavra and Ricky



Russian Dinner at 23h00 with Villalba as special guest



Breakfast on the right bank of "Noguera de Tort"





One of these rivers, which must be navigated in the early thaw, is Irués. Challenged by Rafael Villalba, Maronho and Alejandro, off we went to meet this treasure. We knew we would not be alone because there was a meeting in Ainsa and other paddlers had it in mind too.





Um desses rios, que obrigatoriamente deve ser navegado no início do degelo, é o Irués. Desafiados pelo Rafael Villalba, Maronho e Alejandro lá fomos nós conhecer tal preciosidade. Sabíamos que não íamos estar sós pois havia um encontro em Ainsa e alguns “piraguistas” tinham em mente o mesmo destino que nós.





Uno di questi fiumi, che deve essere navigato per forza all’inizio del disgelo, è l’Irues. Sfidati da Rafael Villalba, Maronho e Alejandro siamo andati la a conoscere questo gioiello. Sapevamo che non sdaremmo stati soli infatti c’era un incontro ad Ainsa e alcuni “piraguisti” avevano in testa il nostro stesso obiettivo.



Put In



Landscape





Glad we were with people who knew it!!!

The path to the put in is itself an adventure. After passing the village of Laspuña we faced long and hard times on dirt roads, some in real bad condition, towards the valley of Irués. After about 40 minutes since we left the asphalt, we arrived at the river entrance. Soon realized we were at a pretty high point, which meant we had to carry the kayaks down the hill until the junction of the two waterlines, clearly visible from the spot where we left the cars. We are told that the other option is to leave the car at the take out, more precisely in the dam of Laspuña, in Lafortunada, and walk upstream with the equipment… for about an hour ...





Ainda bem que fomos com quem conhecia !!!

O acesso de carro até à entrada é só por si uma verdadeira aventura. Depois de passarmos a povoação de Laspuna esperavam-nos longos e árduos minutos de caminhos em terra batida, com algumas partes em péssimo estado, em direcção ao vale do Irués. Passado cerca de 40 minutos, desde que abandonamos o alcatrão, chegamos ao acesso do rio. Rapidamente percebemos que estávamos a uma cota bastante alta, o que significava que teríamos de carregar os kayaks às costas pela encosta abaixo até à junção de duas linhas de água bem visíveis do local aonde estacionamos as viaturas. Fomos informados que a outra opção é deixar os carros na chegada, mais precisamente na barragem de Laspuna em Lafortunada, e subir rio a cima com o material. Estamos a falar de sensivelmente uma hora ...





Meno male che siamo andati con chi lo conosceva!!!

L’arrivo in macchina fino all’entrata è già da sé una vera avventura. Dopo essere passati nel paese di Laspuna, ci aspettavano lunghi e difficili minuti di cammino su strada sterrata, con alcune parti in pessimo stato, in direzione della valle del Irues. Dopo circa 40 minuti dall’abbandono dell’asfalto, siamo arrivati all’imbarco. Rapidamente abbiamo capito che eravamo ad una quota parecchio alta che significava che dovevamo caricare le barche in spalla per scendere fino all’unione delle due linee d’acqua ben visibili dal luogo dove ci trovavamo. Siamo stati informati che l’altra opzione è lasciare le macchine all’arrivo, ovvero alla diga di Laspuna a Lafortunada e risalire il fiume con il materiale. Stiamo parlando più o meno di un’ora ...



Searching for the river :)



Irués - the real Put In





The hike until the river gives us a feeling of isolation only interrupted by the bridge of cement and iron that exists at the put in of this section. After about 20 minutes through the beautiful forest that surrounds the Irués, we finally arrived to the small pool where we started this run. The water is clear and cold. To drink it is mandatory.
Two or three class IV rapids and we are faced with an unnrunable that demands much care and attention in order to overcome. This is a passage that in addition to having a fairly snotty and demanding line has an awful bottom consisting of a huge boiling pot and a siphon on the left side. Some say - with some uncertainty - that it has already been run ... Not by us definitely!!!





A caminhada até ao rio dá-nos a sensação de um isolamento que só é quebrada pela ponte em cimento e ferro que existe na entrada deste troço. Depois de 20 minutos pela bela floresta que envolve o Irués chegamos finalmente à pequena piscina na qual iniciamos esta descida. A água é límpida e gelada. Bebe-la é obrigatório. Dois ou três rápidos de classe IV e deparamo-nos com um infranqueável que merece toda a atenção na sua transposição. Trata-se de uma passagem que para além de ter uma linha muito feia, e exigente, tem uma recepção bastante horrível caracterizada por uma enorme marmita e de um sifão do lado esquerdo. Diz-se com alguma incerteza que já foi navegada por alguém ... Para nós estava fora de questão !!!





La camminata fino al fiume ci fa sentire una sensazione di isolamento che è rotta dal ponte in cemento e ferro che esiste all’entrata del tratto. Dopo 20 minuti attraverso la foresta che avvolge il fiume siamo arrivati alla piccola piscina dove inizia la discesa. L’acqua è limpida e gelata. Berla è obbligatorio. Due o tre rapide di IV grado e ci siamo fermati ad un’impraticabile che merita tutta l’attenzione nell’essere descritto: Si tratta di un passaggio che oltre ad una linea molto brutta ed esigente, ha una ricezione orribile caratterizzata da una marmitta e da un sifone sul lato sinistro. Si dice con certezza che qualcuno l’abbia fatta ... Per noi fuori questione !!!



Pedro Santos "Bica"



Maroño



Alejandro



Pedro Santos "Bica"



Dimitry "Dima"



The unrunnable



Siphon





Further down this passage the river becomes super fun in an almost constant class IV running with small drops and many obstacles. Groups should not be numerous as the eddy lines are scarce and in some sections the river runs fast. In between, the queen passage, rated as V due to the set of technical and demanding rapids and the hazard that some may pose. In our opinion this grading is more suitable for a strong flow situation due to being a quite tapered section, but with an average/reasonable flow we believe that it is more like a strong and consecutive class IV. The scenery is magnificent as outcome to the flora that surrounds this narrow and gorgy waterline and the colors that it offers along the course. After approximately 5 km and a few hours paddling, we reached Lafortunada. The take out can be done near the mouth of Irués, right beside the road or already in river Cinca, before the dam. It is at customer’s will ...





A partir desta passagem o rio torna-se super divertido, numa navegação quase constante em classe IV com pequenos saltos e muitos obstáculos. Não convém os grupos serem numerosos pois as contras não abundam e em algumas partes o rio corre veloz. Pelo meio a passagem rainha, classificada de V devido à sequência de rápidos exigentes em termos técnicos e do perigo que alguns constituem. No nosso entender esta classificação assenta bem para caudais muito fortes devido a ser uma secção muito afunilada, porém com um caudal médio/razoável somos da opinião que se trata de um IV bastante forte e consecutivo. O cenário é magnífico, fruto da flora toda que envolve esta estreita e engargantada linha de água juntamente com as cores que a mesma vai tendo ao longo do percurso. Ao fim de sensivelmente 5 km, e de umas boas horas passadas a remar, chegamos a Lafortunada. A saída pode ser feita perto da foz do Irués, lado direito junto à estrada, ou então já no rio Cinca antes da barragem. É à escolha do freguês ...





Dopo questo passaggio il fiume ritorna superdivertente, in navigazione quasi costantemente di IV grado, con piccoli salti e molti ostacoli. Non conviene che il gruppo sia troppo numeroso, infatti le morte non sono molte e in alcune parti il fiume scorre veloce. In mezzo il passaggio principe, classificato come V per la sequenza di rapide complicate e tecniche e del pericolo che alcune costituiscono. Nella nostra testa questa classificazione è giusta per livelli alti poiché è una sezione molto incanalata, così con portate medio/regionevoli siamo dell’opinione che si tratti di un IV abbastanza consecutivo e forte. Lo scenario è magnifico, frutto di una flora che avvolge questa stretta ed ingolata linea d’acqua insieme ai colori che si trovano lungo il percorso. lla fine di circa 5 km e di un paio d’orette passate a remare, siamo arrivati a Lafortunada. L’uscita può essere fatta vicino alla foce dell’Irues, lato destro, vicino alla strada, o oppure già nel fiume Cinca, prima della diga. A scelta d’ognuno ...



Ricardo Inverno "Ricky"



António Palavra "Tony Words"



Maroño



António Palavra "Tony Words"



Javi - Tronchapalas



Ricardo Inverno "Ricky"



Pedro Santos "Bica"



Javi - Tronchapalas



Rafael Villalba



Maroño



Willy Fog



Dimitry "Dima"



Flyer Words





Thanks go out to the beautiful ladies for the shuttle all the people we share this beautiful day with.

Gracias!





Obrigado as belas senhoras que nos fizeram o apoio terra e a todo o pessoal com quem partilhamos este belo dia.

Gracias !!!





Grazie alle belle signore che ci hanno fatto appoggio di terra e a tutto il personale con cui abbiamo condiviso questa bella giornata.

Gracias !!!

1 comentário:

Kutabai69 disse...

Hello Ricky e companhia, eu sou leão Oscar “amigo amarrar” de Agus. Os conoceros de um prazer nos Pyrenees eram tudo e eu espero sail someday com você por sua terra. História muito boa da redução no Irúes. Um cumprimento